Endodontia(DentMundi)

Tratamento de canal

Image

Endodontia (tratamento de canal) é a especialidade que cuida do interior do dente. A polpa é uma estrutura viva, sendo a parte onde ficam as terminações nervosas e a irrigação sanguínea do dente. O tratamento de canal consiste na remoção da polpa dental, uma vez que ela tenha sido danificada, infeccionada ou morta; o espaço resultante é limpo, preparado e preenchido com material obturador apropriado. Sendo realizado de duas a três sessões dependendo do caso.

O sintoma mais característico é a dor espontânea, latejante, por vezes não localizada e que se agrava com o calor e/ou frio. Quando a polpa “morre”, a dor é geralmente localizada acompanhada por sensação de dente “crescido” ou “pesado”.

As causas são geralmente por cárie muito profunda, trauma ou fratura da coroa dental e se não for tratado, pode desenvolver uma lesão e formar pus na ponta da raiz, gerando um abscesso onde há destruição do osso que circunda o dente, causando dor intensa, inchaço, febre e bacteremia (bactérias na corrente sangüínea). A única solução a partir daí poderá ser a extração do dente.

Um aspecto importante a ser levado em conta após o tratamento endodôntico é o tempo e a opção escolhida para fazer a restauração ou coroa definitiva.

Se o dente estiver fraturado ou muito destruído pode ser necessário colocar um pino cimentado no canal antes da confecção da coroa para obter maior resistência e diminuir o risco de fraturas.

Quando o tratamento de canal anterior não foi bem executado por algum motivo como, por exemplo: dificuldades anatômicas, raízes com curvaturas acentuadas, canais calcificados etc., ou quando o dente não foi devidamente restaurado, pode ocorrer a recontaminação do canal por bactérias presentes na saliva, levando a necessidade do RETRATAMENTO.

Os dentes restaurados podem durar a vida toda quando tratados adequadamente. Devido ao fato de ainda ser possível o aparecimento de cárie em um dente tratado, uma boa higiene bucal e exames dentários regulares se fazem necessários, a fim de evitar problemas futuros.

Antigamente não havia esta opção de conservação, por isso os dentes eram extraídos quando começavam a doer.